Suposta 2ª onda de Covid-19 pode interferir no resultado das eleições no Ceará

Suposta 2ª onda de Covid-19 pode interferir no resultado das eleições no Ceará

Após ter adiado a data inicial prevista para a realização da votação, a pandemia pelo coronavírus pode também intererir no resultado das eleições no Ceará.

Com a reabertura da economia, uma suposta segunda onda da doença já começou a ser reconsiderada. Caso a campanha eleitoral seja atrapalhada ou, até mesmo, interrompida pelo Covid-19, o resultado das eleições em todo o estado pode sofrer interferência.

Em Fortaleza, o candidato à prefeitura José Sarto (PDT), representa a situação mas não é tão popular entre os eleitores. Ele foi diagnosticado com Covid-19 na segunda-feira, 5, o que irá impedí-lo de continuar percorrendo a cidade em campanha e divulgação da própria candidatura.

Além de Sarto, a primeira-dama cearense Onélia Santana também testou positivo para coronavírus, conforme informou o governador através de suas redes sociais. Camilo Santana também foi testado, junto à esposa, mas seu resultado foi negativo.

No Cariri, pelo menos seis municípios não terão eventos que podem causar aglomeração, como comícios, carreatas e caminhadas. A determinação partiu da Justiça Eleitoral e do Ministério Público, visando evitar novos casos de coronavírus na região. As informações são do Jornal do Cariri.

Entretanto, Juazeiro do Norte e Barbalha não serão atingidas pela decisão da Justiça Eleitoral e do Ministério Público, podendo continuar com as campanhas regularmente. O descumprimento do termo, que foi assinado pelos representantes das coligações envolvidas no pleito, pode acarretar em "responsabilização legal nos âmbitos civil, criminal e administrativo".