Presidente do BNDES sobre empréstimos para Venezuela, Cuba e Moçambique em governos petistas: “Estamos pagando essa conta até hoje”

Presidente do BNDES sobre empréstimos para Venezuela, Cuba e Moçambique em governos petistas: “Estamos pagando essa conta até hoje”

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, admitiu que a instituição ainda sofre com os impactos dos empréstimos para empresas e outros países feitos nas últimas décadas, em especial durante os governos petistas de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Montezano afirmou que essas operações já foram investigadas e “nada de ilegal” foi encontrado no BNDES. Segundo ele, o banco apenas executou políticas públicas definidas por governos anteriores e aprovadas no Congresso Nacional.

“É algo complexo, é difícil de entender. Se somar os empréstimos apenas para JBS e Odebrecht, a gente fala em R$ 90 bilhões. Há um calote de US$ 1,5 bilhão de Venezuela, Cuba e Moçambique”, apontou Montezano. “No final, a Justiça investigou isso de trás para frente e nada de ilegal foi encontrado no BNDES até hoje. O banco, em termos operacionais e de execução da política pública, foi coerente.”

Image