Operação da Polícia Federal coloca o grupo Ferreira Gomes em xeque em Sobral

Operação da Polícia Federal coloca o grupo Ferreira Gomes em xeque em Sobral

A ação, intitulada de Marquetagem, investiga repasses de R$ 25 milhões da JBS para o grupo em troca de vantagens indevidas

Com o cumprimento de mandados de busca e apreensão em Fortaleza, a Operação Marquetagem da Polícia Federal (PF) veio à público nesta sexta-feira, 16 de outubro. A ação investiga repasses de R$ 25 milhões que a J&F, dona da JBS, teria feito para o grupo Ferreira Gomes.

Leia mais em: Ação da PF em Fortaleza apura repasses da JBS para grupo político de Cid Gomes

A investigação da PF apurou que os pagamentos teriam sido feitos através da simulação da prestação de serviços publicitários, do uso de notas fiscais frias e de doações oficiais para campanhas eleitorais nos anos de 2010 e 2014.

Baseada na delação de Joesley Batista, a investigação liga diretamente o nome do atual senador Cid Gomes ao pagamento da propina, o que pode complicar os planos políticos do grupo Ferreira Gomes em ano de eleição.

Embora a assessoria do senador tenha negado que a PF tenha realizado busca e apreensão em nenhum endereço de Cid, o assunto tomou corpo nas redes sociais e foi amplamente discutido principalmente em Sobral, município onde Ivo Gomes busca reeleição.

Através de sua conta no Twitter, o jornalista Donizete Arruda tem comentado o caso e cobrado respostas do senador. "Polícia Federal está tirando a máscara do senador Cid Gomes. Ei, Cid, tem como explicar o propinoduto da JBS ao povo cearense?", escreveu Donizete.