Novo decreto de lockdown teria por objetivo conter a onda de protesto contra Ferreira Gomes

Novo decreto de lockdown teria por objetivo conter a onda de protesto contra Ferreira Gomes

Uma suposta nova onda de casos de Covid-19 foi anunciada pelo Comitê Científico do Consórcio Nordeste em uma análise publicada nesta sexta-feira, 23. O governador Camilo Santana já afirmou que uma nova medida que foi imposta durante o lockdown estará de volta à rotina dos cearenses.

Essa movimentação impulsiona a teoria de que as medidas impostas estejam vindo em momento oportuno, às vésperas das eleições municipais 2020, para conter uma onda de protesto e queda de popularidade do grupo Ferreira Gomes.

A principal base eleitoral da família já se encontra ameaçada. A desaprovação à administração do caçula, Ivo Gomes, junto aos altos índices de violência tem levado à uma adesão da candidatura da oposição junto a população. No último dia 17, uma carreata movimentou a cidade da Região Norte cearense em torno do candidato Dr. Oscar.

Em Fortaleza, o cenário também não é positivo para o grupo, atualmente representado pelo prefeito Roberto Cláudio. Pesquisas de opinião indicam que Capitão Wagner, ferrenho opositor dos FG tem vantagem expressiva em relação aos demais candidatos. José Sarto, representante dos Ferreira Gomes no pleito da Capital, não consegue aumentar sua popularidade e amarga um terceiro lugar nas pesquisas.

Temendo a perda da hegemonia conquistada ao longo dos anos, o Executivo estadual tem se movimentado em defesa própria. O primeiro indício é o anúncio de uma nova proibição na realizaçaõ de eventos festivos em ambientes fechados no Ceará, repetindo fórmula utilizada durante o lockdown.

Essa proibição, caso continue a ascender para outros setores, confirma o indicativo de que há inclinação política nos supostos cuidados com a saúde da população. O momento é de atenção com os movimentos políticos do ameaçado grupo dos Ferreira Gomes, principalmente em Sobral e em Fortaleza.