Gilmar Mendes defende provas ilegais para acabar com a Lava Jato e anuncia para dia 25 suspeição do Moro

Gilmar Mendes defende provas ilegais para acabar com a Lava Jato e anuncia para dia 25 suspeição do Moro

Segundo o blog O Antagonista, Gilmar Mendes disse que as mensagens roubadas a Sergio Moro e Deltan Dallagnol podem ser usadas para soltar os criminosos presos pela Lava Jato

“Não necessariamente (anula). Porque se amanhã (uma pessoa) tiver sido alvo de uma condenação por exemplo por assassinato, e aí se descobrir por uma prova ilegal que ela não é autor do crime, se diz que em geral essa prova é válida.”

Segundo o Estadão, Gilmar também anunciou que a Segunda Turma deve julgar no dia 25 de junho outro habeas corpus do ex-presidente Lula acusando o ex-juiz federal Sérgio Moro de agir com parcialidade ao condená-lo no caso do triplex do Guarujá e depois assumir cargo no primeiro escalão do governo Bolsonaro.

O julgamento ocorrerá depois do site The Intercept Brasil publicar o conteúdo vazado de supostas mensagens trocadas por Moro e o coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol.

As conversas supostamente mostrariam que Moro teria orientado investigações da Lava Jato por meio de mensagens trocadas no aplicativo Telegram. O site diz ter recebido de fonte anônima o material.

“Vamos aguardar. Estão anunciando novos vazamentos, então vamos aguardar”, disse Gilmar Mendes a jornalistas, ao chegar para a sessão da Segunda Turma nesta terça-feira, 11/06.

Gilmar Mendes, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski ainda não votaram no habeas corpus.

Polêmica — Muitos juristas afirmam que não há ilegalidade nas conversas, e sim imoralidade. No Brasil é comum juízes conversarem com as partes. Até ministros emitem opinião, como essa do Gilmar Mendes.