Genecias Noronha e a Coordenação da Bancada Cearense (Câmara)

Genecias Noronha e a Coordenação da Bancada Cearense (Câmara)

O mês de janeiro trouxe uma certeza entre os parlamentares cearenses no Congresso, a certeza das eleições dos candidatos governistas no comando da Câmara e do Senado.

Uma nova interlocução dos deputados federais e dos senadores, com a Esplanada dos Ministérios, é necessária, pois o governador do Ceará, o agrônomo Camilo Santana (PT), ainda mantém um posicionamento oposicionista ao presidente Jair Bolsonaro, então a indicação do coordenador da bancada cearense, sem dúvida precisava ser de um político moderado, e com excelente trânsito no Palácio da Abolição e no Palácio da Alvorada. A escolha óbvia o deputado federal, Genecias Noronha, que é o presidente estadual do Solidariedade. 

O presidente Jair Bolsonaro não mantém uma boa relação no campo político-institucional, com o governador Camilo Santana (PT), e muito menos com o grupo do senador Cid Gomes (PDT), num momento em que o Governo Estadual precisa dos recursos financeiros do Tesouro Nacional. Camilo Santana compreendeu a necessidade de refazer a sua parceria com o Planalto de uma maneira indireta ou na construção de um excelente interlocutor de sua total confiança, em Brasília. O deputado federal, Genecias Noronha (SD), tem a missão de coordenar a bancada cearense na Câmara, porém, a sua principal função é a manutenção das pontes entre o Estado do Ceará e a Esplanada dos Ministérios.

A certeza das incertezas já faz parte do universo da classe política local. O pleito eleitoral de 2022, para o Governo Estadual e o Governo Federal, sem dúvida será dividido entre os bolsonaristas e os anti-bolsonaristas, no Ceará. O ano de 2021 ainda terá espaço, para as forças moderadas do campo político-administrativo, com a coordenação do deputado federal, Genecias Noronha (SD), nos próximos doze meses. É um tempo precioso para os cofres do Estado do Ceará. Genecias Noronha virou um coringa da política cearense.

O bloco partidário (PROS-Podemos-PSC-Republicano) oposicionista ao governador, Camilo Santana (PT), já saiu do campo político intitulado de independente, para a base de apoio do presidente, Jair Bolsonaro, assim como o bloco partidário (PP-PL-PSD-PTB) do centrão cearense que não poderá ser ao mesmo tempo aliado do Palácio da Alvorada (Brasília) e do Palácio da Abolição (Ceará). O único campo político chamado de independente ou moderado estará sob a chancela do deputado federal, Genecias Noronha, entre os seus pares no eixo Fortaleza -Brasília-Fortaleza. 

As discussões sobre as reformas administrativas, tributárias e fiscais também farão parte da responsabilidade do coordenador da bancada parlamentar cearense sob o comando do deputado federal, Genecias Noronha (SD), na Câmara, em Brasília. Genecias Noronha deverá manter estreita relação institucional, com as seguintes entidades sociais: FIEC, Fecomércio, CDL, CIC, Associação dos Prefeitos do Ceará, União dos Vereadores Cearenses e outros. É muito importante o papel do coordenador da bancada cearense no Congresso, nesse período anterior ao pleito eleitoral de 2022,  o deputado federal, Genecias Noronha (SD), deverá fazer um excelente trabalho como mediador dos interesses da sociedade cearense e a burocracia (tecnocracia) de Brasília. 

Luiz Cláudio Ferreira Barbosa, sociólogo e consultor político