Cid Gomes chama deputado de “achacador” e deputados revidam: “leviano”, “senadorzinho”, “medíocre”

Cid Gomes chama deputado de “achacador” e deputados revidam: “leviano”, “senadorzinho”, “medíocre”

Cid Gomes se repetiu. No calor da disputa entre Câmara e Senado pela voz final sobre a divisão dos recursos do pré-sal, o senador Cid Gomes (PDT-CE) repetiu o ataque feito a Eduardo Cunha no dia que foi demitido pela ex-presidente Dilma Rousseff do cargo de ministro da Educação.

Durante seu discurso, na tribuna do Senado, Cid chamou de "achacador" o deputado alagoano Arthur Lira, líder do PP na Câmara dos Deputados:
— "Rodrigo Maia está se transformando numa presa de um grupo de líderes, liderados por aquele que, podem escrever o que estou dizendo, é o projeto do futuro Eduardo Cunha brasileiro. Eduardo Cunha original está preso, mas está solto o líder do PP que se chama, salvo engano, Arthur Lira, que é um achacador, uma pessoa que no seu dia a dia, a sua prática é toda voltada para a chantagem, para a criação de dificuldades para encontrar propostas de solução.

A reação de Lira foi imediata na tribuna da Câmara, prometendo abrir processo judicial contra Cid Gomes:
— Ele atacou o colégio de líderes da Câmara e chamando-me de achacador e líder dos líderes, chamou todos os líderes de achacadores. Ele não tem a dimensão do mandato de Senador. Apequena seu nome, seu Estado e o Senado. Ocupou a tribuna levianamente, com dor de cotovelo, porque viu sua vontade derrotada. O projeto da desoneração do Pré-Sal, o projeto da cessão onerosa do Pré-Sal foi votado na Câmara como PEC e teve modificações no Senado na relatoria desse dito “Senadorzinho” (Cid Gomes), vulgo, vulgar, pequeno, leviano. Ele vai responder a um processo para provar onde, quando e quem eu achaquei.
Ecoando a fala de Lira, também discursou o deputado paraibano Wellington Roberto, líder do PL na Câmara:

— Vossa Excelência (presidente Rodrigo Maia) foi atingido também. Nós precisamos processar este senadorzinho medíocre que suja o nome do Senado Federal.

Sem aumentar a tensão, mas encorpando as falas dos líderes do PP e do PL, Rodrigo Maia também respondeu a Cid:
— O senador Cid Gomes procurou apenas a minha pessoa para apresentar sua proposta. Deveria ter procurado cada um dos líderes. Eu não ouvi as palavras do senador Cid Gomes, por isso eu não quero fazer nenhuma crítica ao que ele falou, mas de forma alguma essa presidência e nenhum dos deputados, aceitaria nenhum tipo de prejuízo a nenhum ente da federação. Eu quero ele (Cid) reflita e depois veja que cometeu um erro de acusar, de criticar de forma desnecessária e grosseira um parlamentar desta Casa. Nós nunca fizemos isso, nem eu nenhum líder, e o que nós queremos aqui é construir a solução para que a federação possa avançar.

Proposta derrotada — Antes, mais cedo, Cid Gomes lamentou a decisão da maioria dos líderes da Câmara que, segundo ele, querem alterar o texto da PEC 98 aprovado pelos senadores. Cid ainda afirmou que a Câmara estaria transformando o Senado no subparlamento brasileiro", com papel "pífio" nas decisões nacionais. E ainda criticou a evolução morosa das pautas do chamado Pacto Federativo, que pretende descentralizar recursos para os governos regionais, e desdenhou do fato de que Lira, eleito pelo Alagoas, não querer beneficiar o governo alagoano, porque o chefe do Executivo, Renan Filho, é seu rival local.

Cid Gomes ainda teria trocado insultos com o senador piauiense Ciro Nogueira.