Calamidade faria o Governo do Pará gastar R$ 19,00 por um suco e salgado que custam no máximo R$ 5,00

Calamidade faria o Governo do Pará gastar R$ 19,00 por um suco e salgado que custam no máximo R$ 5,00

Estado usa o decreto de calamidade pública para fazer contratos superfaturados e sem licitação

A maioria das pessoas no Pará conhece o popular "completo", lanche que é vendido pelas ruas, cantinas de escolas e vários lugares, onde se junta um suco e um salgado por um preço bem acessível. Nas ruas o de Belém o "completo" é vendido por R$ 2 e nas cantinas das escolas chega até uns R$ 5.

No entanto, o governo Helder Barbalho (MDB) resolveu pagar R$ 19 pelo combo - suco de caixinha de 200ml mais um salgado. A compra superfaturada pode ser constatada no Portal da Transparência, no portal do próprio governo.

A compra foi feita pela Secretaria Estadual de Saúde (Sespa), que contratou sem licitação a empresa Millennium Serviços e Eventos LTDA-ME para fornecer água mineral e o lanche (salgado e suco).

2

O Processo Nº 237835 mostra que o valor geral da compra R$ 69,256, sendo o custo de R$ 60.040 por 3.160 kits de lanche, sem especificar o valor unitário da compra. Outros R$ 9,216 foram gastos na compra de 4.608 copos de 200ml de água mineral, como se pode constatar na imagem abaixo:

3

Posicionamento do Governo

Em nota, a Sespa esclareceu por meio de nota que, em relação à contratação de empresa para fornecimento de lanches, duas vezes ao dia, à servidores e voluntários durante a campanha de vacinação contra a gripe na Região Metropolitana, com os seguintes itens cada: um sanduíche com manteiga, presunto e queijo; uma fruta; uma caixa de 200 ml de suco de fruta; dois copos d’água de 200 ml, mesmo baseado no Painel de Preços do Ministério da Economia, que relaciona compras públicas em todo o território nacional, mostrou inconsistências e foi cancelado.