Seis de 11 hospitais públicos de Fortaleza estão com 100% de ocupação em UTIs

Seis de 11 hospitais públicos de Fortaleza estão com 100% de ocupação em UTIs

Dados são da Secretaria da Saúde do Ceará, na plataforma IntegraSUS.

A maioria dos hospitais públicos de Fortaleza está com lotação máxima em suas unidades de terapia intensiva (UTIs) específicas para pacientes com Covid-19. Das 11 unidades atualizadas diariamente que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS), seis estão colapsadas e não dispõem mais de leitos para pacientes com quadros mais graves.

s dados são da plataforma IntegraSUS, gerenciada pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa-CE), coletados às 8h35 desta quinta-feira (29).

Embora o governo do Ceará tenha aberto mais leitos de UTI e enfermaria para quadros da infecção viral, eles não têm sido suficientes para garantir a demanda de pacientes que chegam às unidades de saúde.

O estado vive um momento de maior flexibilização das atividades, com autorização para funcionamento de academias de ginástica, barracas de praia e escolas com educação infantil e ensino fundamental completo.

Veja quais hospitais públicos de Fortaleza estão com UTIs colapsadas nesta quinta-feira (29):

Leitos de UTI

Nome do hospital Taxa de ocupação
Hospital Geral Dr. César Cals 83%
Hospital Geral de Fortaleza 100%
Hospital Dr. Waldemar Alcântara 100%
Hospital Infantil Albert Sabin 80%
Hospital José Martiniano de Alencar 100%
Hospital Leonardo da Vinci 97%
Hospital da Mulher 50%
Hospital de Messejana 100%
Hospital Universitário Walter Cantídio 100%
Hospital São José 100%
Instituto Dr. José Frota 87%
Maternidade Escola Assis Chateaubriand Não atualizado
Total 94%

 Ao todo, Fortaleza está com 94% dos leitos de UTI públicos ocupados, além de 81% de todas as enfermarias gerenciadas pelos governos municipal, estadual ou federal.

O Hospital Leonardo da Vinci, referência no tratamento da Covid-19 para todo o Ceará, chegou ao nível mais sensível de ocupação novamente. A unidade está com apenas quatro leitos de UTI disponíveis, mesmo após a expansão realizada durante a segunda onda. Na semana passada, o hospital também atingiu este pico de lotação.

Por outro lado, a ocupação em leitos de enfermaria vêm caindo, ainda que lentamente. Nas semanas anteriores, o Hospital de Messejana e o Hospital São José apresentava colapso inclusive nesses serviços. Atualmente, os índices estão em 76% e 91%, respectivamente. Veja os dados:

Leitos de enfermaria

Nome do hospital Taxa de ocupação
Hospital Geral Dr. César Cals 55%
Hospital Geral de Fortaleza 86%
Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara 89%
Hospital José Martiniano de Alencar 53%
Hospital Infantil Albert Sabin 86%
Hospital Leonardo da Vinci 85%
Hospital de Messejana 76%
Hospital da Mulher 77%
Hospital Universitário Walter Cantídio 72%
Hospital São José 91%
Instituto Dr. José Frota 81%
Maternidade Escola Assis Chateaubriand Não atualizado
Total 81%

Quando considerados os hospitais privados e as entidades sem fins lucrativos na conta de ocupação em UTIs, o número está em, pelo menos, nove unidades de saúde. Além dos seis públicos, estão colapsados o Hospital São Raimundo e o Sopai Hospital Infantil.

Se considerados os hospitais particulares e as entidades sem fins lucrativos, Fortaleza tem ocupação de 89% nos leitos de UTI e de 80% nos de enfermaria.