Presidente do TRE-CE alerta para risco de perder prazo da biometria

Presidente do TRE-CE alerta para risco de perder prazo da biometria

Com o fim do prazo do mutirão em Fortaleza, eleitores ficam suscetíveis a sanções oriundas do cancelamento, mas poderão procurar os postos de atendimento do TRE para regularizar o título de eleitor até 6 de maio de 2020

A cinco dias do fim do prazo de cadastramento biométrico de Fortaleza, cerca de 25% da população ainda não atualizaram o título de eleitor. Ontem, em coletiva de imprensa no Centro de Eventos, o presidente do TRE-CE, desembargador Haroldo Máximo, pediu para que a população não deixe para resolver a situação após ter o título cancelado.
“O dia 29 é uma data estabelecida para concluirmos, preferencialmente atingindo a meta, a coleta de dados biométricos, mas não necessariamente haverá o cancelamento imediato do título do eleitor que não compareceu, ele terá oportunidade posterior de regularizar a situação”, pontua.

O desembargador se refere ao bloqueio a partir 6 de maio de 2020, quando o eleitor fica impossibilitado de regularizar sua situação eleitoral até o final das eleições. Depois dessa data, o único serviço oferecido é a emissão de 2ª via do documento. “É importante ressaltar que, uma vez que o eleitor tenha seu título de eleitor cancelado, até que ele busque atendimento para reverter essa regularização, o título vai estar cancelado e os transtornos e eventuais prejuízos podem começar a repercutir sobre a vida desse cidadão, transtornos esses que a gente não tem como precisar quando iniciarão tendo em vista que são implementados por órgãos diversos da Justiça”, diz a coordenadora de Atendimento ao Eleitor, Lorena Belo.

Após a força-tarefa, o atendimento do TRE acontecerá nos postos de atendimentos nos shoppings, no Vapt-Vupt e na Central da Justiça Eleitoral. O órgão ressalta que a capacidade de atendimento é reduzida, em comparação à estrutura oferecida no Centro de Eventos, e não há como garantir que não haverá transtornos e novas filas de espera.

O vice-presidente e corregedor, desembargador Inácio Cortez, reforçou que, depois de maio, normalmente, os tribunais recebem uma grande demanda de eleitores que procuram fazer a normalização de seus títulos, mas não há mais o que fazer por eles. Sem o documento, o eleitor pode ser impedido de fazer matrícula em universidades públicas, de receber subsídios como o Bolsa Família e de tirar passaporte, por exemplo.

Durante a coletiva, a juíza eleitoral Rosa Mendonça apresentou o balanço parcial da biometria. O eleitorado atual de Fortaleza é de 1.805.214, com biometria são 1.350.810 eleitores (74,8%) e o total sem biometria é de 454.810. 

Balanço

Em 12 dias de mutirão, foram atendidos no Centro de Eventos 67.228 eleitores. Ontem, a movimentação no equipamento foi bem menos intensa do que a do primeiro sábado de atendimento, quando eleitores se aglutinaram em uma fila quilométrica do lado de fora do local para não perder o prazo. O mutirão funcionará até a próxima sexta, fim do prazo da revisão biométrica em Fortaleza, com horário de atendimento das 8h às 17h.