Porto do Pecém atinge a marca de 10 milhões de toneladas de placas de aço movimentadas

Porto do Pecém atinge a marca de 10 milhões de toneladas de placas de aço movimentadas

O Porto do Pecém atingiu nesse fim de semana uma marca histórica: 10 milhões de toneladas de placas de aço embarcadas, desde 2016, para outros países e outros estados do Brasil.

As placas são produzidas pela Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). E nesse domingo (17), o navio "MV Menomonee", atracado no berço 7 do Terminal de Múltiplas Utilidades (TMUT), finalizou, após cinco dias de operação, o embarque de 2.338 placas – o equivalente a 48.708 toneladas.

Antes do embarque das placas de aço em direção aos Estados Unidos, iniciado no dia 13 de maio, o terminal cearense contabilizava o total de 9.966.985 de toneladas movimentadas a partir da produção da CSP. Com essa última operação, atingiu se a marca de 10.015.593 de toneladas de placas de aço embarcadas, através do Porto do Pecém, entre agosto de 2016 e maio de 2020.

Movimentação Anual de Placas de Aço
2016 – 602.195t
2017 – 2.621.423t
2018 – 2.969.807t
2019 – 2.795.934t
2020 – 1.026.234t (até 17/05/2020)
Total Geral: 10.015.593 (até 17/05/2020)

“Vivemos um cenário extremamente desafiador para a humanidade. Até algumas semanas atrás todos viviam normalmente. E de repente fomos surpreendidos. Ainda assim nos reorganizamos, nos readaptamos para enfrentar essa pandemia. Não paralisamos nossas operações um só dia. Todo o Complexo do Pecém segue operando. E como é gratificante poder celebrarmos, mesmo num momento difícil, essa conquista do terminal portuário do Pecém e da Companhia Siderúrgica do Pecém, que nos orgulha com sua presença na nossa ZPE Ceará. Ambas as empresas seguem juntas, desde 2016, em direção ao desenvolvimento econômico e social do Ceará e do Brasil. Meu reconhecimento a cada um dos profissionais que ajudam a produzir e a levar o aço cearense para o mundo. Que venham outras marcas positivas, outros recordes. Acredito que, com todo esse aprendizado, sairemos ainda mais fortes ”, diz Danilo Serpa, presidente do Complexo do Pecém.

“Diante de um momento tão difícil para todos nós, estamos centrados na resiliência, na manutenção segura das atividades e nas importantes lembranças de conquistas que nos orgulham. Um desses orgulhos é o marco de 10 milhões de toneladas de placas de aço pela CSP, por meio do Porto do Pecém, nosso indispensável parceiro, desde o início das nossas atividades operacionais. Estamos autorizados a operar, pois temos alto-forno, equipamento que precisa ser preservado, para que possamos gerar energia para o Brasil, por meio do processo siderúrgico da CSP, e oxigênio hospitalar para hospitais de vários estados do Nordeste, por meio da White Martins, que opera dentro da CSP. Por isso, estamos cientes na nossa importância para o estado do Ceará e da nossa responsabilidade de cuidar das pessoas, tendo em vista o nosso principal valor: a vida em primeiro lugar. Esperamos que tudo isso passe o quanto antes, para voltarmos a conviver presencialmente e poder comemorar cada vitória”, afirma Cláudio Bastos, presidente da CSP.

Somente no mês de abril/2020 foram movimentadas 222.357 toneladas de aço pelo terminal cearense. No primeiro mês da operação, portanto em agosto/2016, foi registrado o movimento de 49.860 toneladas. Já o melhor mês no histórico dessa movimentação específica segue sendo maio/2017, com 320.977 toneladas de placas de aço. Até hoje o aço da CSP embarcado no Porto do Pecém já desembarcou em portos dos Estados Unidos; Turquia; Coréia do Sul; Brasil; Polônia; Itália; Canadá; Tailândia; México; Alemanha; Reino Unido; Bélgica; China; Indonésia, França; Espanha; Taiwan; Marrocos; Romênia; Croácia; e Argentina.

Destinos das Placas de Aço
Estados Unidos (41,4%)
Turquia (12,8%)
Coréia do Sul (9,1%)
Brasil (8,5%)
Polônia (5,1%)
Outros países (23,1%)

Para Carlos Alberto Alves, gerente da Tecer Terminais, uma das principais empresas atuantes no embarque e desembarque dentro do Porto do Pecém, o otimismo nos números encontra reforços na logística integrada entre as empresas que trabalham dentro do terminal portuário. “Essa integração dos serviços maximiza a nossa força para conquistarmos avanços como esse recorde. É um trabalho que fizemos nos últimos anos e a cada mês só cresce com o atendimento de novos projetos”, diz.