Porta-voz da OMS diz que nunca aconselhou a aplicação de confinamento como medida para o combate ao coronavírus

Porta-voz da OMS diz que nunca aconselhou a aplicação de confinamento como medida para o combate ao coronavírus

“A OMS jamais aconselhou de colocar um país em confinamento para combater a pandemia”, declarou a porta voz da OMS, Margaret Harris, ao Sydney Morning Herald. Segundo ela, vários países seguiram os passos de Wuhan para lidar com a epidemia, sem controlar rigidamente os infectados e isolar as pessoas em contato com estes.

Ao aplicar medidas de confinamento total, vários países seguiram o exemplo das autoridades Chinesas em Wuhan, com o surgimento do Covid-19. Entretanto, estas medidas não foram implementadas totalmente, segundo Margaret Harris, porta-voz da Organização Mundial da Saúde (OMS), ao Sydney Morning Herald.

Nós jamais dissemos para aplicar medidas de confinamento. Nós sugerimos que se fizesse o acompanhamento, delineamento, isolamento e tratamento.

Entretanto, para as regiões onde o coronavírus se espalhou rapidamente, “os governantes chegaram ao ponto de colocar os seus países em quarentena, porque eles não se encontravam em condições de saber onde se daria a maior parte das transmissões”, afirmou a Dra. Harris.

O confinamento não é o suficiente

Além disso, esses países garantiram a eficácia da aplicação destas restrições, após ver que elas funcionaram em Wuhan. Exceto que eles não aplicaram todas as medidas:

Mas eles não levaram em conta coisas que também aconteceram em Wuhan: que houve um acompanhamento rigoroso dos [indivíduos que tiveram] contato; um isolamento rigoroso das pessoas que estiveram em contato [com infectados]; se certificaram que estas pessoas não iriam a lugar algum; e também uma triagem massiva. Portanto, fez-se muito mais do que simplesmente fechar a região.

Conselhos para encerrar o confinamento

Segundo ela, os países que tenham a intenção de encerrar o confinamento precisam localizar os focos de transmissão para isolá-los. “Vocês devem ser capazes de separar as pessoas infectadas das saudáveis”, continuou a porta-voz da OMS.

Ela avisa que o mundo não derrotou a pandemia ainda, pois a propagação do vírus está apenas começando no Leste Europeu e na Rússia.

Embora a OMS tenha se engajado em analisar as consequências da pandemia de forma autônoma – algo que representa uma prática habitual, durante as grandes epidemias –, a organização não se opõe a qualquer investigação independente, reafirmou Margaret Harris.

[*] Editorial. "L’OMS dit ne jamais avoir conseillé le confinement contre le coronavirus". Sputnik France, 27 de abril de 2020.

Tradução: cpac