Paciente deixou de ser atendida por atraso de oito minutos em posto de saúde de Sobral

Paciente deixou de ser atendida por atraso de oito minutos em posto de saúde de Sobral

Com consulta marcada há pelo menos 20 dias, uma paciente não foi atendida por ter chegado apenas oito minutos atrasada no posto de saúde. O caso aconteceu no bairro Alto do Cristo em Sobral nesta quinta-feira, 8.

Em relato enviado para o portal O Sobralense, uma mulher narrou o acontecido quando procurou atendimento de saúde municipal. Segundo ela, a consulta seria apenas para receber um encaminhamento para a Policlínica, onde seria avaliada por um especialista em reumatologia.

Sem poder se ausentar do trabalho, a paciente foi direto para o posto de saúde, tendo um atraso de apenas oito minutos causado pelo trânsito. Ao chegar no posto de saúde, ouviu de enfermeiras que não seria mais atendida pela médica e que sua consulta teria sido remarcada.

A mulher, então, pediu para falar pessoalmente com a médica para resolver o problema. Ela aguardou até que os outros atendimentos tivessem terminado para receber mais uma negativa, dessa vez da própria médica.

"Eu não seria mais um paciente para ela atender, eu seria da lista de hoje. Por isso, se fossem dez atendimentos, eu estaria nessa lista. Eu disse para ela que poderia ser a última, não tinha problema, mas ela disse que não dava certo", lamentou a paciente.

Mais uma vez, por indicação da médica, a paciente esperou para conversar com uma das enfermeiras buscando resolver o problema. A enfermeira em questão afirmou que o caso só poderia ser solucionado pela profissional de medicina. Ao insistir, ela foi encaminhada até a gerente do posto de saúde - que mais uma vez, não conseguiu solucionar o problema. "Já precisei do posto outras vezes e eu passei a tarde inteira aguardando, não era a hora exata marcada. Deveriam ter me informado", justificou.

O sentimento da paciente era de constragimento e humilhação. "O atendimento é péssimo. Uma vez que eu precisei do posto de saúde, que é pra todos nós. Eu não pretendo voltar lá, mas eu só quero que eles não façam mais isso com os outros".