Médicos servidores estaduais entram em Estado de Greve

Médicos servidores estaduais entram em Estado de Greve

Após mais de 10 anos aguardando a implantação efetiva do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), garantido pela Lei nº 14.238/2008, médicos servidores estaduais decretaram Estado de Greve.

Os profissionais deliberaram a favor da iniciativa, na última quarta-feira (15), durante Assembleia Geral Extraordinária, realizada no Sindicato dos Médicos do Ceará.

Leia mais: Reunião entre Sindicato e Sesa discute os próximos passos da implantação do PCCS dos Médicos do Estado

Sindicato em ação: reunião com secretário da Sesa discute implantação do PCCS dos servidores estaduais

Sindicato convoca médicos do Hospital de Messejana para reunião sobre aplicação do PCCS dos profissionais da Sesa

A decretação do Estado de Greve coloca em atenção todas as unidades de saúde estaduais. Caso seja deflagrada a greve, os maiores hospitais públicos do Estado serão afetados, a exemplo do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Hospital São José, Hospital Infantil Albert Sabin (HIAS) e Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto.

“A decisão, aprovada por unanimidade, acontece após anos de tentativas de negociação com o Governo do Estado. Os médicos não possuem outra alternativa para garantir que o seu direito seja respeitado após mais de uma década de diálogo com o Poder Público”, destaca Dr. Edmar Fernandes, presidente da entidade.

Em mais uma tentativa de solucionar o problema, o Sindicato dos Médicos requereu Audiência Pública para a Assembleia Legislativa a fim de discutir a questão. A Audiência já foi aprovada pela Comissão de Saúde, restando apenas o agendamento de data para ser realizada.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará