“Leitura em Movimento”: Casa de Cuidados do Ceará implanta projeto de compartilhamento de livros e conhecimento

“Leitura em Movimento”: Casa de Cuidados do Ceará implanta projeto de compartilhamento de livros e conhecimento

Além de ser uma forma de diversão e informação, a leitura é uma atividade com muitas funções.

É um caminho para o conhecimento e o desenvolvimento de habilidades, atuando, inclusive, na saúde mental do leitor, proporcionando equilíbrio emocional, pois envolve imaginação, estimula a mentalização e a criação. Pensando nisso, a equipe de Terapia Ocupacional da Casa de Cuidados do Ceará (CCC), unidade da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) e gerida pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), desenvolveu o projeto Leitura em Movimento.

A iniciativa consiste em incentivar a leitura e o compartilhamento de livros entre pacientes, cuidadores e colaboradores do espaço. Os materiais são fruto de doações tanto dos próprios trabalhadores da CCC, quanto do público externo.

“A ideia da biblioteca surgiu quando foi pensado em algo que pudesse levar aos pacientes, cuidadores e colaboradores, de forma autônoma, o incentivo à leitura, ao conhecimento e compartilhamento, como uma rede de estímulo à interação biopsicossocial. A proposta é que o conhecimento e a leitura alcancem a maior quantidade de pessoas possível, podendo o leitor ser ou não alfabetizado, entendendo que os processos de aprendizado não se dão apenas pela leitura, mas pela interpretação visual, pelos processos imaginativos e criativos e interesse pelo novo por meio dos livros”, explica Natália Costa, terapeuta ocupacional da Casa.

A estante dos livros fica disponível no hall de convivência próximo ao setor da Terapia Ocupacional, onde a pessoa pode escolher o livro e protocolar o empréstimo na recepção. Quando o material é devolvido, ele fica guardado na chamada “caixa da quarentena”, resguardado por um período de cinco dias, como medida de biossegurança e prevenção contra a Covid-19. “Conseguimos perceber um maior envolvimento com a leitura à medida que as pessoas tomam conhecimento desse espaço coletivo, além do interesse de visitar a biblioteca, pegar um livro e folhear, disseminando o movimento e oferecendo meios para sensibilização e arrecadação de mais livros”, continua Costa.

O ambiente é uma oportunidade para o paciente ou cuidador validar as horas de internação e poder adquirir crescimento, transformação e superação, além de outros poderes que a leitura possibilita, por meio de contação de histórias e troca de experiências e conhecimentos. “A leitura proporciona um estímulo ao potencial criativo do leitor, com novos sonhos e objetivos; uma mudança de vida, com acesso à cultura de forma simples e acessível”, diz Kamylle Guanabara, também terapeuta ocupacional da Casa de Cuidados.

Uma pesquisa desenvolvida pela Universidade de Sussex, no Reino Unido, e divulgada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), mostrou que ler reduz em até 68% os níveis de estresse, auxilia na diminuição da frequência cardíaca e alivia a tensão muscular, além de proteger a mente contra o surgimento de doenças neurodegenerativas. Além disso, um estudo da New School, de Nova York, mostrou que quem lê ficção tem mais empatia. Entender o estado mental de outras pessoas é, de acordo com os pesquisadores, uma habilidade importante no aspecto social e faz com que as pessoas se tornem mais humanas e aptas a conviver melhor com o que é diferente com harmonia.

Outro levantamento realizado pelo jornal Social Science and Medicine, com mais de três mil voluntários, mostrou que aqueles que se dedicaram cerca de três horas por semana à leitura viveram pelo menos dois anos a mais do que os participantes que não costumavam ler com frequência, além de terem mais qualidade de vida.

Sobre a Casa de Cuidados
A Casa de Cuidados do Ceará foi inaugurada, inicialmente, para auxiliar na reabilitação de acometidos pela Covid-19. O local passou a oferecer, ainda, reabilitação humanizada e multidisciplinar aos cearenses em recuperação após alta hospitalar decorrente de outras doenças, bem como atuar na desospitalização de quem está sob cuidados prolongados – com reabilitação e/ou adaptação a sequelas decorrentes de outros diagnósticos, como Acidente Vascular Cerebral (AVC) e trauma.

Entre os benefícios oferecidos pelo espaço, estão: otimização dos leitos hospitalares; diminuição dos riscos de infecção; humanização no atendimento; assistência a familiares; além da promoção de transição do paciente para o domicílio e prevenção de novas hospitalizações.

A CCC possui, hoje, 130 leitos. É permitido que pacientes possam ter a companhia de um familiar na fase de reabilitação. O local é acessível e também conta com área verde, possibilitando ar fresco e tranquilidade.

leitura02 ccc

Image