Escândalo dos respiradores do Consórcio Nordeste derruba secretário da Casa Civil do governo da Bahia

Escândalo dos respiradores do Consórcio Nordeste derruba secretário da Casa Civil do governo da Bahia

Exonerado de forma inesperada do cargo de secretário da Casa Civil do estado nesta sexta-feira (5), Bruno Dauster foi citado pela dona da empresa Hempcare, Cristiana Prestes, como responsável pela negociação dos 300 respiradores comprados pelo Consórcio Nordeste e que não foram entregues.

A empresa foi o alvo principal da Operação Ragnarok, que prendeu na última segunda-feira três pessoas e apura as circunstâncias da compra malsucedida dos equipamentos. A Bahia teve prejuízo de R$ 10 milhões com a negociação.

Dias antes da operação, na semana passada, Cristiana disse em entrevista ao jornalista Dinarte Assunção, do Rio Grande do Norte, que Bruno Dauster foi o principal responsável pela negociação da compra dos respiradores. De acordo com ela, foi ele quem entrou em contato com a empresa em abril para comprar os equipamentos. Agora, em entrevista à TV Bahia, Cristiana repetiu: “A minha negociação, noventa e nove vírgula nove por cento, foi com Bruno Dauster”.

Na carta de demissão enviada ao governador, Bruno Dauster, segundo o governo do estado, alegou motivos pessoais para deixar a secretaria, que passou a ser comandada por Carlos Palma de Mello. A saída repentina do secretário surpreendeu até aliados mais próximos ao Palácio de Ondina, já que Dauster tocava alguns dos principais projetos da gestão estadual.

O Bahia Notícias tentou contato com Bruno Dauster, mas ele não atendeu as ligações.