Criticada por Bolsonaro CoronaVac produz dez vezes menos anticorpos do que vacina da Pfizer, diz estudo

Criticada por Bolsonaro CoronaVac produz dez vezes menos anticorpos do que vacina da Pfizer, diz estudo

Pesquisa envolveu profissionais da saúde de Hong Kong e foi publicada na revista científica The Lancet

Um estudo realizado em Hong Kong e publicado na revista científica The Lancet indica que a vacina chinesa CoronaVac — produzida pelo laboratório Sinovac e envasada e distribuída no Brasil pelo Instituto Butantan — produz dez vezes menos anticorpos contra a covid-19 do que o imunizante desenvolvido pela farmacêutica norte-americana Pfizer. A informação foi repercutida por publicações internacionais como o jornal francês Le Monde e a Bloomberg.

A pesquisa apontou que os níveis de anticorpos entre profissionais de saúde de Hong Kong totalmente vacinados com o imunizante da Pfizer/BioNTech eram cerca de dez vezes superiores aos observados em quem havia tomado duas doses da CoronaVac.

Segundo os cientistas, apesar de o nível de anticorpos não ser o único aspecto relevante para se medir a capacidade de proteção contra o coronavírus, “a diferença nas concentrações de anticorpos neutralizantes identificados no estudo pode-se traduzir em diferenças substanciais na eficácia da vacina”.

A conclusão do estudo em Hong Kong corrobora a tese de que as vacinas de RNA mensageiro — como a da Pfizer e da Moderna — ofereceriam maior proteção contra o coronavírus e suas variantes em comparação com imunizantes desenvolvidos por métodos mais tradicionais, como o vírus inativado (é o caso da CoronaVac).