Bancos digitais: saiba por que 1,2 milhão de contas já foram abertas no Ceará

Bancos digitais: saiba por que 1,2 milhão de contas já foram abertas no Ceará

Segundo um levantamento realizado pelo Nubank, maior banco digital do País, 4% dos clientes cearenses nunca tinha possuído uma conta bancária antes de aderir à instituição.

Em pouco mais de cinco anos, desde que começaram a operar, os três principais bancos digitais do País saíram praticamente do zero para uma carteira de aproximadamente 1,2 milhão de clientes no Ceará.

O Nubank, por exemplo, maior banco digital independente do mundo, tem mais de 20 milhões de clientes, dos quais 800 mil apenas no Ceará, o equivalente a 4% do total. Enquanto o Banco Inter tem 5% de sua base de clientes no Estado, totalizando 183 mil clientes, e o Banco Original tem cerca de 200 mil correntistas cearenses.

Para o economista Lauro Chaves, professor da Universidade Estadual do Ceará (Uece), o crescimento dos banco digitais se deve sobretudo à crescente confiança dos usuários nesse tipo de plataforma.

“Além da comodidade de realizar as transações bancárias por meio do smartphone e de oferecer serviços mais baratos do que os bancos tradicionais, o que se viu foi um crescimento da confiança da sociedade em geral nessas instituições financeiras."

"Até pouco tempo atrás, havia temor, principalmente, quanto a segurança, mas com o tempo isso mudou”.

27% dos clientes cearenses do Nubank nunca tinham tido cartão de crédito

Segundo um levantamento realizado pelo banco digital Nubank, 4% dos clientes cearenses nunca tinha possuído uma conta bancária antes de abrir a NuConta, conta digital da fintech. E 27% dos clientes no Estado nunca tinham tido cartão de crédito antes na vida, antes de aderir à instituição.

“A tendência é que esses bancos tenham cada vez mais clientes, mas os bancos tradicionais já estão acompanhando essa tendência, o que vai aumentar a concorrência ainda mais e beneficiar o consumidor”, diz Chaves.

Bancos digitais já têm 10% da participação entre as fintechs

Sem agências físicas, os bancos digitais possibilitam a abertura de uma conta em poucos minutos, usando apenas o celular, e sem a burocracia exigida pelos grandes bancos. Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs), cresceu de 6% para 10% a participação dos bancos digitais entre as fintechs, passando do quinto para o terceiro lugar no ranking de segmentos representados, ficando atrás dos setores de meios de pagamento e de crédito.

Gratuidade, ausência de taxas e jovem até 30 anos

De acordo com o Nubank, sete em cada dez clientes do Ceará (71%) afirmaram que preferem a fintech a bancos tradicionais por causa da gratuidade e da ausência de taxas.

E, entre outros fatores citados pelos clientes como decisivos para escolher o banco, estão: a recomendação de amigos e familiares (67%), a facilidade em usar (35%) e o controle maior sobre gastos e limite do cartão (31%).

Com o aumento da penetração dos bancos digitais, cresce o número de pessoas que priorizam as operações no digital em detrimento dos bancos tradicionais.

O Nubank, por exemplo, sem ter uma única agência bancária, possui clientes em todos os 5.570 municípios do Brasil, marca atingida em abril do ano passado. Entre os clientes do Nubank no País, cerca de 20% nunca havia tido um cartão de crédito antes de ser correntista. E entre os clientes com mais de 55 anos, 15% nunca tinha tido cartão de crédito antes.