Adeus a Arlindo Júnior: cultura do AM perde um dos seus maiores ícones

Adeus a Arlindo Júnior: cultura do AM perde um dos seus maiores ícones

Arlindo Júnior foi um dos mais importantes artistas do Festival Folclórico de Parintins. Além de ter lutado contra o câncer desde 2016, Arlindo também foi bastante ativo na política quando atuou como vereador de Manaus.

Manaus - Arlindo Pedro da Silva Júnior, mais conhecido como Arlindo Júnior, ou ainda como “Pop da Selva”, morreu na noite desse domingo (29), em um hospital particular de Manaus. Arlindo, foi um dos principais nomes do Festival Folclórico de Parintins, como levantador de toadas do Boi-bumbá Caprichoso, de 1989 a 1999, e novamente de 2005 a 2006. E de 1998 a 2004 como apresentador do Boi, e novamente em 2014. Comunicado foi informado em nota pela Associação Cultural Boi-Bumbá Caprichoso. 

“A voz do Festival, a voz de nossa galera, a voz do lindo histórico de amor ao boi Caprichoso silencia neste mundo para cantar no mundo celestial ao lado de tantas outras estrelas azuladas. Um filme passa por nossas cabeças. Quantas vezes sua voz deu o tom para que a galera explodisse com a toada Pesadelo dos Navegantes na arena do bumbódromo? Quantas vezes seus olhos derramaram lágrimas ao entrar na arena e ver que ali estavam todos os torcedores apenas aguardando o seu sinal, para que pudessem levar o Boi Caprichoso ao título? ”, informou a diretoria do Caprichoso em nota de pesar.

Luta contra o câncer

Em junho de 2016, após anunciar em suas redes sociais que estava com câncer na pleura, Arlindo Júnior foi transferido em um avião adaptado com uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), disponibilizada pelo Governo do Amazonas, para realizar o tratamento contra a doença no Hospital LeForte, em São Paulo.

Em São Paulo, após o primeiro turno das eleições, no dia 3 de outubro de 2016, o cantor foi ao hospital para novos exames, quando descobriu que estava com um derrame pleural, mais conhecido como água na pleura. Arlindo precisou ficar internado por 10 dias, para retirada do líquido. Após alta, foi recomendado ficar 15 dias em recuperação quando se sentiu mal novamente e fez os exames que detectaram o câncer.

Carreira

Arlindo foi um dos maiores nomes do Festival de Parintins. Chegou na ilha para cantar em um aniversário, se apaixonou e não quis mais ir embora. Comandou o programa “Buteco do Arlindo” na Rádio Alvorada, formou sua banda de pagode, foi levantador das primeiras bandas do Boi Caprichoso. Se tornou levantador de toadas e quando o touro azulado precisou dele também acumulou a função de apresentador.

Com mais de 30 anos dedicados ao boi-bumbá, Arlindo Júnior foi um dos principais artistas da cultura amazonense. O cantor se despediu do Bumbódromo em apresentação no Festival Folclórico de Parintins deste ano, emocionando a galera ao som da toada “Pesadelo dos Navegantes”. Em agosto, Arlindo Júnior recebeu a Medalha Ruy Araújo, maior honraria do parlamento estadual, na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM).

Além de ser um expoente da cultura amazonense, Arlindo Júnior também se dedicou à vida política. Foi vereador de Manaus, dirigente da Fundação Municipal de Eventos e Turismo de Manaus, secretário-executivo de Cultura do Amazonas e secretário de Governo de Parintins.

O velório está sendo realizado no Centro de Convenções Vasco Vasques, localizado na avenida Constantino Nery, bairro Flores Zona Centro-Sul de Manaus. O presidente do Boi-Bumbá Caprichoso, Jender Lobato decretou luto de 7 dias pelo falecimento daquele que é o maior ídolo da História do Boi Caprichoso, o Pop da Selva, Arlindo Jr.