27 detentos fogem de presídio de Limoeiro (PE)

27 detentos fogem de presídio de Limoeiro (PE)

Do G1 — Detentos fugiram da Penitenciária Doutor Ênio Pessoa Guerra, em Limoeiro, no Agreste de Pernambuco, a cerca de 80 quilômetros do Recife, nesta quinta-feira (9). Segundo a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), ao todo, 27 homens fugiram, por volta das 4h, após explosão de um dos muros da unidade prisional.

Até a última atualização desta reportagem, não havia informação sobre detentos recapturados. A Seres divulgou o nomes de todos os que teriam fugido, mas não especificou os crimes cometidos por eles.

Segundo o Sindicato dos Policiais Penais de Pernambuco, entre os fugitivos está um homem suspeito de envolvimento em diversos assaltos a banco e condenado por homicídios, que já fugiu outra vez, além de outros detentos considerados de “alta periculosidade”

“Entre 20 a 30 meliantes explodiram o muro da Penitenciária Doutor Ênio Pessoa Guerra para resgatar presos que ficavam no Pavilhão de Disciplina. O muro estourado foi perto desse pavilhão. Presos que estavam nessa área tocaram fogo para evitar o acesso de policiais penais e trocaram tiros para fugir”, afirmou o presidente do sindicato, João Carvalho.

Moradores da cidade relataram que os bandidos jogaram grampos na estrada de acesso ao município. Vídeos mostraram que era possível ouvir tiros à distância. Veja:

A capacidade original da penitenciária é de 550 detentos, mas contava, antes da fuga, com 1971 presos, apontou o secretário de Justiça, Pedro Eurico. Tropas especiais da Polícia Militar foram acionadas para auxiliar na recaptura.

Nesta manhã, uma banana de dinamite foi localizada no entorno do presídio, afirmou o secretário, e uma equipe especializada foi acionada para fazer a retirada do explosivo.

O comerciante Marcos André da Silva mora a cerca de um quilômetro do presídio e contou que acordou com os sons de tiros. “Foi por volta de umas 4h, era muito tiro. A gente via as balas de longe”, disse.

Por volta das 8h, um tapume foi colocado no local onde o buraco foi aberto por explosivos. Os grampos foram retirados da estrada. A Seres afirmou que uma sindicância administrativa será aberta para apurar as circunstâncias em que o caso ocorreu.