Governo do Ceará e Ford vão buscar empresa para assumir fábrica da Troller em Horizonte

Governo do Ceará e Ford vão buscar empresa para assumir fábrica da Troller em Horizonte

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), participou de reunião com executivos da Ford na América Latina e no Brasil para tratar sobre o fechamento da fábrica da Troller no município de Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza, no fim deste ano.

No encontro virtual, ficou acertado que serão formados grupos de trabalho, tanto pelo Estado quanto pela Ford, para encontrar uma empresa que possa dar continuidade às atividades e preservar os empregos na cidade. Detalhes de como seria essa sucessão ainda não foram definidos.

A informação é do titular da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), Maia Júnior. Em entrevista ao O POVO, ele se disse confiante de que o fechamento da fábrica será evitado. "A Troller é uma marca forte, muito bem aceita no Brasil na área de aventura e entretenimento. É, digamos, o segundo veículo de muitas famílias. Sou otimista, vamos trabalhar a tranquilidade dos funcionários da fábrica", afirma.

A planta da Troller no Ceará, que existe desde 1995 e foi reinaugurada em 2014, não vai mais operar porque a Ford deixará de produzir veículos no Brasil após um século de operação no País, conforme anúncio feito pela montadora norte-americana nessa segunda-feira, 11.

Confira a entrevista com Maia Júnior, secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará
Como a notícia sobre o fechamento das fábricas da Ford no Brasil foi recebida pelo Governo do Ceará?

É uma notícia triste, mas, mesmo assim, estamos numa situação mais confortável do que a Bahia e São Paulo, onde as fábricas vão fechar de forma imediata. Aqui, no Ceará, a previsão é para o fim deste ano. No entanto, é um prazo em que nós achamos ser possível encontrar um sucessor para assumir a fábrica.
O senhor acredita que isso será possível?

Sim. Vamos empenhar todos os nossos esforços para encontrar essa empresa sucessora, por meio da criação de grupos de trabalhos, tanto deles quanto nossos. Isso ficou acertado entre os representantes da Ford e com o governador Camilo Santana.
A fábrica é atraente a possíveis investidores?

Claro. Nós estamos falando de um veículo como o Troller. A Troller é uma marca forte muito bem aceita no Brasil na área de aventura e entretenimento. É, digamos, o segundo veículo de muitas famílias. Sou otimista, vamos trabalhar a tranquilidade dos funcionários da fábrica.
E caso isso não se concretize?

Será um impacto muito grande para a economia de Horizonte, com muita gente sem opção imediata de trabalho formal. Mesmo a empresa falando que a fábrica emprega 470 pessoas, dados de novembro, do Caged (Cadastro Geral de Empregador e Desempregados), apontavam 570 empregos. Pode ser que tenha ocorrido demissões, mas estou me baseando pelos dados oficiais do Ministério da Economia. A Troller é a única indústria automobilística que nós temos, no Ceará, e isso tem um grande simbolismo.
O que Horizonte representa para a economia cearense?

Tem um peso muito significativo. Nos últimos anos, trabalhamos muito na atração de investimentos para Horizonte. A gente cita a Troller, mas temos outras empresas no município, como a Vestas, que emprega em torno de 1.600 pessoas. Isso sem falar em outras fábricas, como a da Klabin. Horizonte é um polo econômico bem consolidado, inclusive, atraindo trabalhadores de outras cidades do Ceará, como Quixadá.