Cesta básica em Fortaleza tem aumento em novembro e é a mais cara do Nordeste

Cesta básica em Fortaleza tem aumento em novembro e é a mais cara do Nordeste

A cesta básica de Fortaleza teve um aumento de 2,23% e chegou ao preço médio de R$ 395,82 em novembro. A alta foi puxada pelo aumento de sete dos doze produtos que compõe os itens básicos da alimentação, principalmente pela carne.

Com o resultado de novembro, a capital cearense tem a 9º cesta básica mais cara do país e a mais cara do Nordeste. Na região Nordeste região, atrás de Fortaleza estão: Recife (R$ 354,64), Natal (R$347,89), João Pessoa (R$ 347,14), Salvador (R$ 341,45) e Aracaju (R$ 325,40).

O preço médio do produto subiu 7,62% no mês, segundo pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgada nesta quinta-feira (5).

O aumento do preço médio da cesta básica de novembro ante outubro foi de R$ 8,64, quando o valor dos itens básicos somavam R$ 387,18. Além da carne, também apresentaram alta o feijão (4,49%), banana (4,18%), óleo (0,77%) e café (0,39). Em contrapartida, os preços da farinha (-6,21%), tomate (-6,02%), leite (-0,51%) e manteiga (-0,03%) recuaram.
Preços

Só o preço médio da carne subiu R$ 8,46 em novembro em comparação ao mês anterior, quando 4,5 kg da proteína custava R$ 111,06 em média. Já o feijão passou de R$ 21,15 para R$ 22,10 no período, preço referente a quantidade de 4,5 kg.

O levantamento aponta ainda que a farinha (3 kg) caiu de R$ 9,18 para R$ 8,61. Já o preço do tomate (4,5 kg) recuou de R$ 45,84 para R$ 43,08.

Para adquirir os doze produtos básicos da alimentação, o trabalhador que ganha um salário mínimo (R$ 998), teve que desprender 87 horas e 15 minutos de sua jornada de trabalho mensal para essa finalidade. O gasto com alimentação de uma família padrão (2 adultos e 2 crianças), foi de R$ 1.178,46.