Isolados: mais um grande passo da Netflix nacional

Isolados: mais um grande passo da Netflix nacional

Mas será que foi maior que a perna?

Isolados conta a história do casal Lauro (Bruno Gagliasso) e Renata (a ingrata... não... digo... Regiane Alves), que, por algum motivo, decide fazer o motivo causador da existência de 90% dos filmes de terror: ir para uma cabana longe de tudo. Não sei para que, hoje em dia para ficar longe de tudo, basta desligar o wifi.

TIRANDO OS PROBLEMAS DO CAMINHO
Sempre procuro olhar obras nacionais com mais tolerância, mas neste caso algumas coisas me tiraram do filme.

Há alguns momentos de estupidez narrativa, recurso encontrado mesmo em grandes sucessos do terror internacionais. Ocorre quando algum personagem faz algo estúpido ou sem o menor sentido ou propósito apenas para a trama poder andar. Por exemplo, logo no início do filme, Lauro conversa com um comerciante. Dado momento Lauro mostra um mapa ao homem, ainda que na conversa tenha ficado claro antes do mapa que o casal se instalaria na região, o vendedor se espanta, comentando que aquele mapa era daquela região (eh, temos um xeroque rolmes aqui), até ai "tudo bem" (ou não), mas a questão é que Lauro recolhe o mapa sem ver nem para que e o homem não dá informação alguma sobre! Isso apenas para citar uma.

Outro problema que tive foi com o som, que parece criança quando escolhido para pajem de casamento e fica levantando as alianças perguntado "é agora?". De tempos em tempos o som tenta nos deixar tensos, mas conforme os motivos da tensão não se fazem valer e mesmo assim se repetem, ainda menos efeito ele causa na tentativa seguinte.

Quem viu a última temporada de Game of Thrones deve lembrar daquele "excelente" episódio quase todo no escuro. É quase uma radio novela, porque só dá para ouvir. Em Isolados acontece algo semelhante. Claro, uma ou outra cena no escuro quase absoluto nos deixa desnorteados, confusos e tensos. Na quantidade de vezes que o recurso é usado, acaba cansando.

PARA QUE EU VOU VER ESSA BOS...
Calma, na verdade Isolados é um filme excelente, que torna-se apenas bom por seus deslizes. Dependendo da sua tolerância a estes deslizes, é possível que o filme se torne uma ótima pedida e valha muito a pena assistir.

Lembre-se que as produções de Hollywood são feitas e evoluídas e recebem grossos incentivos há quase um século, enquanto timidamente temos autores brasileiros tentando começar.