Política

Petistas não aceitam críticas nem mesmo de seus apoiadores

Petistas não aceitam críticas nem mesmo de seus apoiadores

A polarização política que marca o cenário brasileiro não poupa nem mesmo os apoiadores do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Figuras públicas que manifestaram apoio ao líder petista nas eleições de 2022 têm enfrentado críticas e descontentamento de militantes do partido após expressarem suas opiniões sobre o atual governo.

O caso mais recente que ganhou destaque é o do ex-deputado e ex-BBB Jean Wyllys, que, em um episódio de um podcast, revelou ter se sentido alvo de uma suposta "sabotagem" por parte do ministro Paulo Pimenta, da Secretaria de Comunicação do governo. A declaração de Wyllys provocou uma reação intensa por parte de setores da militância petista, expondo as tensões internas dentro do partido.

Outros nomes conhecidos, como o humorista Gregório Duvivier e o ator Matheus Solano, também enfrentaram críticas e questionamentos por parte dos apoiadores de Lula. Duvivier, por exemplo, iniciou recentemente uma campanha em que pediu para que o ex-presidente indicasse uma mulher negra para ocupar a próxima vaga que surgir no Supremo Tribunal Federal, quando a ministra Rosa Weber se aposentar. A proposta, que visa a inclusão e diversidade, não passou despercebida pelos críticos.

Não é a primeira vez que apoiadores de Lula enfrentam reações adversas dentro do próprio campo político. Em junho deste ano, um grupo de artistas gravou e compartilhou um vídeo no qual anunciavam uma campanha para pressionar o atual governo a adotar compromissos mais efetivos com pautas ambientais. Os artistas destacaram que apoiaram o governo em razão das promessas de preservação ambiental feitas durante a campanha eleitoral, e expressaram descontentamento com o que perceberam como falta de ação nessa área.

Em meio a esses episódios, Jean Wyllys chegou a comparar a militância petista aos eleitores do ex-presidente Jair Bolsonaro, utilizando o termo "hater-gado-petista". A expressão ressalta como as tensões políticas e ideológicas estão presentes não apenas entre apoiadores de diferentes campos, mas também dentro de cada um desses grupos.

A polarização política continua a ser uma marca registrada da cena política brasileira, refletindo-se em debates acalorados mesmo entre aqueles que compartilham o mesmo campo ideológico. À medida que o cenário político se desenvolve, é possível que essas tensões persistam e influenciem a dinâmica das eleições e das discussões políticas no país.