Política

Lula é oficialmente declarado inocente por Toffoli

Lula é oficialmente declarado inocente por Toffoli

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, tomou uma decisão histórica ao anular todas as provas obtidas a partir das delações da Odebrecht e considerar a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como "um dos maiores erros judiciários da história do país".

Toffoli acatou o pedido da defesa de Lula e declarou que as provas obtidas por meio do acordo de leniência da Odebrecht são inválidas, devido à sua obtenção por meios "heterodoxos e ilegais". O ministro afirmou que agentes utilizaram métodos que podem ser comparados a uma "verdadeira tortura psicológica" para obter "provas" contra inocentes.

Ele também destacou que a prisão de Lula foi resultado de uma trama que visava ao poder por meios aparentemente legais, mas que na realidade agiu contra a lei. Toffoli enfatizou que a prisão de Lula representou o início dos ataques à democracia e às instituições do país, e que agentes públicos desrespeitaram o devido processo legal e decisões judiciais superiores.

A decisão do ministro do STF reforça a absolvição de Lula, que já havia sido beneficiado com a anulação de todas as suas condenações em 2021. Com sua inocência agora oficialmente declarada, Lula conquista uma vitória legal significativa e continua sua trajetória política no Brasil após ter sido eleito presidente em 2022.