Brasília – O  plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve julgar hoje à noite dois processos que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), acusados de propaganda eleitoral antecipada.

bill gates

O cofundador da Microsoft Bill Gates anunciou nesta segunda-feira (13) que está investindo US$ 50 milhões para financiar pesquisas sobre o tratamento da doença de Alzheimer.

Em uma postagem em seu blog, Gates disse que estava fazendo o investimento com sua fortuna pessoal, e não através da sua fundação Bill & Melinda Gates.

“De todos os distúrbios que nos afligem no final da vida, um se destaca como uma ameaça particularmente grande para a sociedade: a doença de Alzheimer”, disse Gates.

“Os cientistas ainda precisam descobrir o que exatamente causa o Alzheimer ou como impedir a doença de destruir o cérebro”, afirmou. “Nos Estados Unidos, esta é a única entre as 10 principais causas de morte que não conta com nenhum tratamento significativo”.

Gates disse que estava investindo US$ 50 milhões no Dementia Discovery Fund, com sede em Londres, um empreendimento público-privado que apoia pesquisas inovadoras sobre demência.

O filantropo bilionário disse que encontrar tratamento para a doença de Alzheimer, que afeta quase 50 milhões de pessoas em todo o mundo, é particularmente urgente, uma vez que uma melhor atenção médica signifi-ca que as pessoas estão vivendo por mais tempo.

“Nós vimos a inovação científica tornar males que eram antes sentenças de morte, como o HIV, em doenças crônicas que podem ser mantidas sob controle com medicação”, disse. “Eu acredito que podemos fazer o mesmo (ou melhor) com a doença de Alzheimer”.

 

(Exame Abril)

 

Um grupo de familiares e amigos foi beneficiado com recursos públicos durante a gestão do ex-governador cearense Ciro Gomes (1991-94), apontado como um dos possíveis adversários do presidente Fernando Henrique Cardoso na eleição do próximo ano.

Para ajudar pessoas que haviam trabalhado na campanha eleitoral, foram registradas duas empresas, a agência de publicidade Criação Ilimitada, nascida depois da vitória de Ciro, e a CMK, uma consultoria de marketing, que surgiu dez dias antes da posse, em 5 de março de 91.

As duas funcionavam no mesmo endereço do escritório de Ivo Ferreira Gomes, irmão de Ciro, localizado na rua Santos Dumont, 1343, salas 1101 e 1102, em Fortaleza.

Segundo levantamento da empresa Nielsen Associados, o governo do Ceará alcançou a quinta colocação no ranking dos maiores gastos de publicidade em 1992, com uma verba de R$ 2 milhões.

A Criação Ilimitada fazia parte do grupo de empresas que teve direito a esses recursos, segundo documentos obtidos pela Folha. Um dos seus sócios, Fernando Augusto da Silva Costa, afirma que a agência mantinha vários contratos com o Estado.

O valor destinado à agência de publicidade, a mais próxima do governo cearense, no entanto, não é divulgado pelos órgãos que possuem a informação.

O TCE (Tribunal de Contas do Estado), cujo presidente, Julio Rego, é ligado politicamente a Ciro Gomes, também não informou sobre o assunto.

A CMK teve como sócio-fundador, em 91, o sociólogo Antonio Lavareda, que hoje presta serviços de assessoria e pesquisa ao governo federal. Ele deixou a firma no final do ano seguinte.

No comando do Ipespe, Lavareda ganhou, sem licitação, um contrato equivalente a US$ 1 milhão, em 1994, para realizar pesquisas da administração estadual.

Procuradores —  As firmas CMK e Criação Ilimitada existiram apenas durante o governo tucano e tiveram como procuradores, com poderes para realizar negócios com o Estado, o próprio Ivo e Einhart Jacome da Paz, cunhado de Ciro (veja cópia dos documentos).

A rede de amizade e laços familiares teve um personagem-chave, segundo apuração feita pela Folha em documentos de cartórios enviados ao TCE (Tribunal de Contas do Estado) do Ceará por deputados estaduais.

Trata-se do contador Francisco José de Mesquita, apontado pelo deputado estadual Carlomano Marques (PMDB) como "laranja" (aquele que apenas cede nome e documentos para negócio de outra pessoa) de Einhart Jacome da Paz e de Ivo Ferreira Gomes.

A suspeita foi levantada por um motivo: Mesquita, que trabalhava com Jacome da Paz no grupo Diana, em São Paulo, passou a ser dono, formalmente, tanto da CMK como da Criação Ilimitada (veja quadro nesta página).

A direção da Diana confirmou à Folha que Mesquita havia sido funcionário da empresa, de quem já se desligou. No endereço que ele forneceu para os documentos de composição das firmas também não foi localizado em São Paulo.

Público X privado — "O que é mais grave nessa história é o fato de um irmão e um cunhado do governador agirem como procuradores de empresas com negócios contratados pelo Estado", diz Carlomano Marques. "A suspeita é de que eles fossem os verdadeiros donos."

O caso das empresas de pesquisa e publicidade têm sido lembrados também, segundo apurou a Folha, por novos adversários de Ciro Gomes, os tucanos ligados ao governador Tasso Jereissati.

Eles lembram, com o pedido de que os seus nomes não sejam divulgados, que Ciro deixou dívidas para Jereissati pagar a empresas ligadas a Einhart, o cunhado do ex-governador.

O esquema de publicidade do governo Ciro Gomes

1) Criada a empresa de pesquisa CMK em 05 de março de 91, dez dias antes da posse de Ciro no governo. Os sócios criadores são Antonio Lavareda (98%) e Francisco Borges Cavalcante (2%).

2) A CMK tem como sede o mesmo endereço do escritório de Ivo Gomes, irmão de Ciro Gomes (Rua Santos Dumont, 1343, salas 1101 e 1102, Fortaleza.

3) Em 13 de março, dois dias antes da posse de Ciro, Lavareda passa uma procuração pública dando poderes a Einhart Jacome da Paz, casado com Lia, irmã de Ciro Gomes, como administrador da CMK.

4) Fundada, em 06 de maio de 91, 50 dias depois da posse, a empresa Criação Ilimitada, que seria uma das campeãs de contrato com o governo cearense. A firma, segundo as juntas comerciais de São Paulo e Fortaleza, foi criada para substituir a empresa Brazil Trade. Os sócios são Francisco José de Mesquita, funcionário da organização Diana, de São Paulo, e Fernando Augusto da Silva Costa. Coincidência ou não, a Diana tem com um dos seus sócios Einhart, o cunhado de Ciro Gomes.

5) A Criação Ilimitada também passa a funcionar no mesmo endereço do escritório de Ivo, o irmão de Ciro.

6) Em junho do mesmo ano, a CMK, pertecente a Lavareda e representada pelo cunhado de Ciro, ganha a primeira conta no governo cearense. Havia disputado com as empresas Ipespe (também dirigida por Lavareda) e Ágil. O governo não realizou concorrência, utilizou a modalidade de carta-convite (empresas escolhidas são convidadas a disputar uma conta).

7) Em 11 de novembro de 1992, Lavareda nomeia, conforme documentação firmada em cartório, Ivo Ferreira Gomes (irmão de Ciro) como procurador da CMK, inclusive habilitado a negociar com o governo e movimentar contas bancárias.

8) Em 3 de dezembro de 92, Lavareda retira-se da sociedade, conforme a Junta Comercial do Ceará, cedendo e transferindo as suas quotas (98%) a Antônio Evandro de Castro Abreu. O valor da transferência foi a apenas US$ 1,350,00.

9) Em 21 de fevereiro de 1994, Francisco José de Mesquita, que trabalhava para o grupo Diana (empresa contratada para realizar as produções publicitárias do governo cearense, por intermédio da Criação Ilimitada), entra na sociedade da CMK, no lugar de Evandro de Castro Abreu. Passa ao mesmo tempo a ser sócio da Criação Ilimitada e da CMK.

Envolvidos no caso negam irregularidades

Ivo Ferreira Gomes, irmão do ex-governador Ciro Gomes, disse que era advogado da empresa CMK, que teve contratos com o governo cearense. Segundo ele, somente o sociólogo Antonio Lavareda, sócio inicial da firma, poderia esclarecer sobre o assunto.

"Essa coisa da CMK... eu era advogado, mas não era judicial, era alguma coisa administrativa que eu não me recordo e nem posso te dizer o que que é", disse. "Quem pode dizer isso para você é o Lavareda, que é hoje assessor lá do presidente da República."

Segundo o irmão de Ciro Gomes, o seu escritório funcionava no mesmo andar, mas em salas diferentes das empresas CMK e Criação Ilimitada, ao contrário do que registram os documentos que as empresas protocolaram em cartórios do Ceará e São Paulo.

Ivo Gomes insistiu em dizer que somente Lavareda poderia responder sobre o assunto: "Não me incomodo que ele diga. Eu não posso dizer porque advogado é igual a padre, mas ele pode liberar a informação para você".

O irmão do ex-governador admite que pode ter sido também advogado da Criação Ilimitada. "Posso até ter sido advogado deles nalguma coisa", disse. "É só perguntar ao Lavareda, que é nosso adversário agora, ele pode dizer o que bem quiser."

Lavareda informou que ficou na CMK só do início do governo Ciro (1991) a dezembro do ano seguinte. Disse que fez negócios dentro da lei e que sofreu prejuízos com a empresa. Ele se recusou a comentar as declarações de Ivo Gomes.

O publicitário Einhart Jacome da Paz, cumhado de Ciro Gomes, disse que exerceu função de procurador da CMK a pedido de Lavareda, que era dono da empresa e não tinha tempo para administrar a empresa em Fortaleza.

Sócio da empresa Diana, em São Paulo, Einhart informou que a sua relação com a Criação Ilimitada era apenas como produção de anúncios do governo cearense.

"Tinha trabalhado na campanha do Ciro e fiquei morando um tempo em Fortaleza por causa da minha mulher, que fazia um curso de medicina e não podia ser transferida", conta o publicitário. "Fui procurador da CMK para quebrar um galho para o Lavareda, que tinha ocupações em Recife."

Segundo Jacome da Paz, o negócio no Ceará era menos interessante financeiramente do que cuidar da Diana. "Levei uma prensa dos meus sócios (de São Paulo), pois Fortaleza não compensava."

O cunhado do ex-governador disse que nunca tirou proveito da proximidade com Ciro, sendo só seu vizinho na capital cearense.

Jacome da Paz informou ainda que Fracisco José de Mesquita, acusado de ser "laranja" das empresas, trabalhou com ele na Diana, mas não soube mais do seu paradeiro. "Esse cara, parece que ganhou uma herança em Minas e gostava de entrar em negócios, como as empresas do Ceará", disse.

A Folha tentou localizar Mesquita em São Paulo, durante duas semanas, sem sucesso, nos endereços registrados nos documentos da CMK e Criação Ilimitada.

Fernando Augusto da Silva Costa, sócio da Criação Ilimitada, afirmou que sua empresa prestou serviço ao governo Ciro, mas que os negócios foram legais. "Tanta coisa para vocês se ocuparem, agora vêm querer saber desse personagem (Einhart Jacome da Paz)."

O publicitário Evandro de Castro Abreu, que figurou como sócio da CMK, disse que ficou na empresa "apenas três meses". Segundo as procurações de cartório, ele permaneceu de 3 de dezembro de 1992 a 21 de fevereiro de 94.

A Folha não conseguiu localizar Francisco Borges Cavalcante, sócio minoritário (apenas 2%) de Lavareda na CMK.

(Folha de S. Paulo, 20 de outubro de 1997).

 

 

Segunda, 13 Novembro 2017 00:32

Metereologistas já comemoram fim da seca em 2018

Escrito por

El Niño esfriando e La Niña aquecendo. Com essa explicação vários meteorologistas apostam que 2018 será de bastante chuva no Nordeste, com chuvas começando a cair antes mesmo do período chuvoso, já nos meses da pré-estação. 

A informação é do Centro de Previsão Climática da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês).
O fenômeno La Niña, que acontece nas águas do oceano Atlântico, está confirmado com probabilidade elevada para até 75%.
Espera-se que o fenômeno dure de fevereiro a abril de 2018, quando é inverno no Hemisfério Norte e verão no Brasil.
Já são cerca de 12 mil km de águas frias no Pacífico Equatorial e a tendência é que o resfriamento avance ainda mais com a submersão das águas geladas no oceano. 
Com as temperaturas das águas do Oceano Pacífico mais frias, o La Niña clássico provocaria no Brasil um volume menor de chuvas para o Sul do país, mas traria boas condições para o Centro-Norte e Nordeste.

NORDESTE CHUVAS FORTES — O La Niña pode ocorrer nos meses de novembro, dezembro e janeiro.
No entanto. a presença de um sistema que altera as temperaturas das águas no Atlântico Norte, pode desconfigurar os efeitos tradicionais do fenômeno La Niña, pelo menos num primeiro momento.
Tanto que os modelos de tendências para o clima apontam para um dezembro com chuvas abaixo da média para o Matopiba e parte de MT , GO e MG
Mas o fato é que o La Niña já pode ser observado nos mais diversos modelos dos institutos meteorológicos do mundo.
O fenômeno El Nino, que acontece no oceano Pacífico, estava muito forte, e esse superaquecimento das águas do Pacífico provocou a seca no nordeste. Agora inverteu. O fenômeno La Niña, que acontece no oceano Atlântico, ganhou força.
A ocorrência do La Niña deve provocar para a região Norte do Brasil chances de chuvas acima da média nos estados do Amazonas, Acre e Rondônia.
Para grande parte do Nordeste, esse fenômeno apresenta, em média, boas chuvas. Vale ressaltar a região Nordeste enfrenta seis anos seguidos de seca.
Para o Centro-Oeste e Sudeste, podemos ter todo tipo de fenômeno, como estão mais na área central do país. E no Sul, pode haver ter falta de chuva ou intensificação de veranico", explica Expedito Rebello, coordenador geral do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

SUL CHUVAS FRACAS — Essa condição para a região Sul do Brasil demanda atenção, uma vez que pode afetar a produção das culturas de verão no início do ano, como soja e milho que estão em plantio e serão colhidas nos próximos meses.
NOAA ainda prevê o aumento das chuvas no Sudeste Asiático e Austrália. Para os Estados Unidos a perspectiva favorece temperaturas e precipitação abaixo da média em toda a parte Sul do país, enquanto a parte Norte poderia ver temperaturas abaixo da média e acima da precipitação mediana.

Um relatório reservado do TCU (Tribunal de Contas da União) apontou irregularidades no empréstimo de R$ 3,2 milhões de um fundo público a uma empresa do senador Luiz Pontes (PSDB-CE), 45, braço direito do governador do Ceará, Tasso Jereissati (PSDB).

Sábado, 11 Novembro 2017 10:20

7 notas sobre Tasso Jereissati no PSDB

Escrito por
  1. Nos dias que antecederam sua queda da presidência nacional interina do PSDB, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) apostava que o senador Aécio Neves (PSDB_MG) jamais lhe tiraria da posição. Levou um susto. Quem não levou susto algum com a queda do Tasso Jereissati foi o presidente Michel Temer, que foi avisado, com antecedência, por Aécio que destituiria Tasso.
  2. A todos que ligavam para Tasso querendo saber mais detalhes de sua queda da presidência do PSDB, ele repetia sempre a mesma frase: “Perdi o emprego”. E dependendo de quem ligava, acabava dando risada.
  3. Não há maioria clara a favor de Tasso Jereissati ou de Marconi Perillo na convenção do próximo 9 de dezembro. A divisão na disputa pelo comando nacional do PSDB se repete na maioria dos estados, que fazem hoje suas convenções para eleição dos diretórios. São Paulo, com cerca de 100 convencionais, está dividido, mas Tasso tem a simpatia da maioria. O atual presidente do diretório paulista, que deve ser reconduzido ao cargo, o deputado estadual Pedro Tobias, já explicitou apoio a Tasso. Mas o senador cearense tem a oposição de convencionais ligados ao ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes Ferreira, ao senador José Serra, ao prefeito João Doria e ao presidente do Instituto Teotônio Vilela, José Aníbal. "O apoio do Pedro Tobias não significa que o partido em São Paulo irá apoiar Tasso. Teremos mais de 40%, se não for mais. O Tasso vai se surpreender com os diretórios de todo o país. Está agindo como um coronel que não agrega e isso assusta", disse José Aníbal. Tasso tem os 25 delegados do diretório do Ceará eleitos ontem. Marconi tem fechado Goiás, com 27 delegados e apoio quase maciço dos 90 convencionais de Minas Gerais, aliados do presidente licenciado Aécio Neves (MG). No Acre os sete convencionais devem votar em Tasso. Seus adversários o acusam de ter feito uma intervenção no diretório do estado. A Executiva antiga tinha sido apagada mas ganhamos na Justiça o direito de reativar a diretoria eleita há dois anos — disse o deputado federal Rocha. Outro estado onde Tasso tem forte apoio é na Paraíba do senador Cássio Cunha Lima e do filho, o deputado cabeça preta Pedro Cunha. O atual presidente, Ruy Carneiro, será reconduzido e a maioria dos 15 votos é pró-Tasso. Na Bahia, o deputado João Gualberto, presidente do diretório e que será reconduzido, acredita que Tasso terá cerca de 60% do apoio nacional para assumir a presidência. Em Minas, o deputado Domingos Sávio, aliado de Aécio e um dos mais ferrenhos críticos de Tasso, será reconduzido para dirigir o partido. Fora esses casos, poucos dirigentes locais anunciam voto. Entre os convencionais, entretanto, há um apelo para que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, seja aclamado novo presidente para evitar o agravamento da disputa interna.
  4. Muitos tucanos acham que Tasso ainda alimenta o sonho de ser o tertius dos tucanos na disputa pelo Planalto em 2018. Na reunião organizada pelo senador aecista Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) para o lançamento da candidatura do Tasso à presidência do PSDB, havia uma grande faixa onde se lia “Tasso Presidente”. Outros acreditam que Tasso vai desmantelar o PSDB e ajudar a campanha do presidenciável Ciro Gomes. Tasso nega a intenção e chama a família Ferreira Gomes de "oligarquia política".4. O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, é contra Tasso Jereissati para presidente do PSDB em dezembro. Trabalha a favor da candidatura de Marconi Perillo. Aloysio, permanecendo no posto, já avisou que sai em abril. Vai disputar sua reeleição no Senado. O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, ironizou a crise do PSDB, afirmando que “tem muita gente pintando os cabelos de preto lá”. Era uma alusão aos “cabeças pretas” que queriam a saída de Aécio Neves da presidência da sigla e dos quatro ministros do governo de Michel Temer.
  5. O prefeito João Dória não fez nenhum comentário sobre a escolha do ex-governador Alberto Goldman para substituir Tasso Jereissati como presidente interino do PSDB. Se Geraldo Alckmin for eleito novo presidente do partido, em dezembro, hipótese discutível, Doria apressará sua decisão de sair do partido. É o que garantem seus aliados, que também informam que o destino de Dória seria o PMDB, de onde poderia ser lançado candidato à presidente do Temer.
  6. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acha que o ex-governador Alberto Goldman, novo presidente interino do PSDB, comandará o partido sem maiores turbulências até dezembro. Goldman é ligado a José Serra, que foi ministro de Temer e é defensor de aliança dos tucanos com o PMDB. “Se porventura tal convergência não se concretizar, o que porá em risco as chances do PSDB, já disse que apoiarei a candidatura do senador Tasso Jereissati à presidência do partido. Com isso, não faço ressalvas ao direito do governador de Goiás, Marconi Perillo, a quem respeito por sua fidelidade ao PSDB e pelo bom governo que faz, de ser eventualmente candidato. A vitória de um ou de outro não corresponde à vitória do bem contra o mal: precisamos permanecer juntos”, disse FHC.
  7. Apoiadores de Tasso Jereissati (PSDB-CE) têm certeza de que o senador e presidente afastado do partido Aécio Neves (PSDB-MG) consultou o presidente do Senado, Eunício Oliveira, antes de afastar Tasso da presidência da sigla. Ao Poder360/Drive, Eunício negou ter interferido no processo. São remotas as chances de Tasso e Eunicio caminharem juntos na eleição de 2018 — o que até há poucas semanas era uma possibilidade. O mais provável neste momento é Eunício disputar a reeleição para o Senado com o apoio do governador Camilo Santana (PT), que também tentará se reeleger, apoiado pela família de Cid e de Ciro Gomes. Uma pesquisa local aponta que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 66% das intenções de voto para presidente no Ceará.

 

estudantes do enem

Esquema suspeito de fraudar provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e outros concursos corrompia fiscais ou usava candidato falso, que gabaritava questões e repassava informações por ponto eletrônico aos clientes. A conclusão é da operação Adinamia, da Polícia Federal em parceria com o Ministério Público Federal (MPF), que desarticulou a quadrilha, ontem. Em algumas ocasiões, o grupo tinha acesso às provas, violando o lacre antecipada-mente.

Foram presos preventivamente quatro homens no Ceará, dois em Fortaleza e dois em Lavras da Mangabeira (a 417 km da Capital). Os municípios seriam os núcleos fortes de atuação do grupo. O terceiro seria Barbalha, no Cariri.

A delegada da PF em Juazeiro do Norte, Yolanda Leite, afirmou que a investigação comprovou a atuação da quadrilha no Enem de 2016. “Ainda não foi constatada nenhuma atuação dela no E-nem deste ano. A operação foi deflagra-da para preservar o Enem de 2017”, frisou.

“Há uma divisão de tarefas dentro da quadrilha. Os presos em Lavras desempenhavam papel importante no esquema. Os presos em Fortaleza são os chefes e principais alvos. Há indícios de que eles sejam servidores públicos relacionados ao ensino superior”, informou.

A organização fraudava certames, pelo menos, desde 2014. Além das prisões, foram cumpridos 11 mandados de conduções coercitivas e 21 de busca e apreensão em Fortaleza, Lavras, Barbalha, Juazeiro do Norte, Mauriti e Abaia-ra, no Ceará; São José de Piranhas e Cajazeiras, na Paraíba; e Teresina, no Piauí.

A PF informou acreditar na participação de mais de 20 pessoas no esquema. “Era uma organização criteriosa, com tarefas bem definidas, com arregimentadores, pessoas que transmitiam o gabarito e os chefes, que coordenam o funcionamento”, esmiuçou a delegada.

O suspeito do Piauí, conforme Yolanda Leite, não atuaria sozinho naquele estado. Ele transmitiria os gabaritos a candidatos piauienses a partir de dados do Ceará. Já na Paraíba, conforme o portal Mais PB, os alvos da operação se-riam uma pessoa envolvida no grupo e dois universitários suspeitos de serem clientes.

Vagas no curso de Medicina eram as de maior procura e, por isso, as mais caras, podendo chegar a R$ 90 mil. Metade do valor era pago aos criminosos antes das provas e a outra parte após a aprovação no curso. A PF não infor-mou quais outros concursos foram fraudados.

Investigações

As investigações foram iniciadas em 2016. Em novembro daquele ano, a PF em Juazeiro prendeu, durante o Enem, uma mulher de posse de gabaritos e um homem com ponto eletrônico. “Ainda tivemos um componente essencial que foi a denúncia de pais e de candidatos que sofreram tentativa de aliciamento para a compra desses gabaritos”, disse o agente da PF Cláudio Luz.

O delegado Wellington Santiago afirmou que, com a operação, as investigações devem se aprofundar. “Vamos poder definir com maior precisão o alcance em outros estados e definir as condutas de cada integrante”.

Os presos devem responder por fraudes em concursos públicos, organização criminosa e lavagem de dinheiro, com penas de reclusão de um a quatro anos, três a oito anos e três a dez anos de prisão, respectivamente, e multas.

(Jornal O Povo)

Quinta, 09 Novembro 2017 19:15

Balé "é coisa de veado', disse Pedro Bial

Escrito por

Imagem 1

Durante a exibição de uma reportagem sobre o Ballet Kirov, no programa "Fantástico" de anteontem, a Rede Globo transmitiu uma voz em "off" (ao fundo) que fazia o seguinte comentário: "Isso é coisa de veado".
O comentário foi ouvido pelos telespectadores logo no começo da reportagem, feita por Glória Maria, que também é apresentadora do "Fantástico".

Glória Maria acabara de fazer a introdução da reportagem quando começaram a ser exibidas imagens de movimentos de uma bailarina. Nesse momento, uma voz masculina disse, ao fundo, "isso é coisa de veado".

Aparentemente, a voz seria do apresentador Pedro Bial, o que a Rede Globo, oficialmente, nega. Dentro da emissora, o incidente foi atribuído à área técnica. Bial não foi encontrado pela reportagem até as 18h30 de ontem.

A direção de jornalismo, por meio da assessoria de imprensa da emissora, diz não saber o que houve, mas afirma ter certeza de que o vazamento de áudio não ocorreu no estúdio do "Fantástico".

"A central de engenharia está analisando de onde veio a voz. Acredita-se que a frase já estava gravada em alguma das fitas que foram usadas no momento da exibição da reportagem", afirma Paulo Carneiro, diretor de divulgação da emissora.

O argumento não é convincente. Se houvesse a certeza de que a voz partiu de uma das fitas gravadas, era improvável que, até as 18h de ontem, a emissora ainda não tivesse um diagnóstico da falha.

O acontecimento mais viável para explicar esse deslize seria justamente uma possível brincadeira do apresentador Pedro Bial.

Acreditando que seu microfone estivesse desligado, ele teria feito o comentário. Mas essa prática, nada rara em transmissões ao vivo, é a primeira que a Globo descarta.

O comentário causou reação de bailarinos e entidades de defesa dos homossexuais, que consideraram a fala preconceituosa.

Para Márika Gidalli, diretora-fundadora do Ballet Stagium, "o comentário de Pedro Bial foi uma lástima, muito infeliz. Meu marido é bailarino, tenho dois filhos que são bailarinos, e eles não são homossexuais".

Já o grupo ativista gay Atobá, do Rio, promete mover uma ação contra a Rede Globo.

(Folha de S Paulo, 5 de maio de 1998)

Quinta, 09 Novembro 2017 19:11

Apareceu o coveiro da Lava Jato?

Escrito por

A escolha do delegado Fernando Segóvia como novo diretor-geral da Polícia Federal desperta dúvidas sobre a forma como ele conduzirá a operação Lava Jato, que revelou o maior esquema de corrupção do país. Sua escolha acontece no momento em que avançam as investigações a pessoas com prerrogativa de foro. Vários inquéritos tramitam no Superior Tribunal de Justiça e no Supremo Tribunal Federal.

Página 2 de 3

Siga-nos

Newsletter

Cadastre-se e receba nossos informativos.

Enquete

Qual desses possíveis candidatos você considera o melhor para o Ceará?
© 2017 Ceará em Off. Todos os direitos reservados.Designe e Programação Equipe CEOFF

Procurar