logo passaro branca

 Você jamais será livre sem uma imprensa livre
Republicanos, Tropicalistas, Pan-americanos

Caso de raiva mata moradora do Recife

Recife confirmou o primeiro caso de raiva humana em 19 anos, de acordo com a Vigilância Ambiental e Controle de Zoonoses da Secretaria de Saúde do Recife. Adriana Vicente da Silva, de 36 anos, morreu na última quinta-feira, no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), mas o resultado do exame realizado pela Instituto Pasteur, de São Paulo, que confirmou a causa do óbito, foi divulgado somente nesta segunda-feira.

O laudo do exame mostrou que o vírus encontrado em Adriana é de origem silvestre (cepa 3), proveniente de um morcego hematófago (que se alimenta de sangue). A prefeitura do Recife acredita que um gato transmitiu a doença para a mulher, e que este gato infectado tenha entrado em contato com um morcego contaminado.

“Fazia doze anos que não tínhamos registro de raiva canina ou felina [ciclo urbano]. Por causa da aproximação da zona urbana e silvestre, casos assim são raros, mas podem acontecer”, afirmou o gerente.

Antes mesmo da confirmação, após ser levantada a suspeita de raiva, o Centro de Vigilância Ambiental do Recife iniciou as medidas necessárias para evitar novos casos da doença. “Em um raio de 1 quilômetro da residência da vítima nós iniciamos a vacinação de cães e gatos em cada domicílio. Também instalamos postos de vacinação em um raio de 5 quilômetros do local e iniciamos uma vistoria para capturar morcegos que estejam escondidos em residências abandonadas, por exemplo, além de orientar a população sobre a importância de vacinar os animais e notificar caso encontrem algum morcego, cão ou gato com características alteradas”, disse a vigilância da Prefeitura do Recife.

Adriana era dona de uma pet shop e foi ferida na mama direita por um gato no dia 26 de abril. Na época, não procurou nenhuma unidade de saúde. Somente no dia 18 de junho, quando os sintomas começaram a se desenvolver, ela foi internada no Hospital Agamenon Magalhães, localizado na Zona Norte do Recife. Na última segunda-feira, em razão do agravamento do quadro, ela foi transferida para o HUOC, onde faleceu.

Sugestão de pauta

 (85) 9-8222-4451

© 2017 Ceará em Off. Todos os direitos reservados.