Economia

Carro popular de Lula não impulsiona mercado e montadora reduz produção

Carro popular de Lula não impulsiona mercado e montadora reduz produção

A Volkswagen teve que fazer ajustes na sua produção devido à estagnação do mercado automobilístico, mesmo com os descontos patrocinados pelo governo para estimular o consumo de veículos.

Apesar dos esforços do programa governamental, a montadora paralisou completamente, durante toda a semana, as fábricas de Taubaté, no interior paulista, e de São José dos Pinhais, no Paraná, que já vinham operando em apenas um turno desde o início do mês.

Enquanto a unidade paranaense produz o utilitário esportivo T-Cross, a fábrica da Volks em Taubaté monta os modelos Polo Track, sucessor do Gol, e Novo Polo.

Os dias parados nas duas unidades serão descontados do banco de horas dos funcionários, evidenciando os impactos da falta de demanda no setor.

Além disso, a montadora também anunciou uma paralisação de dez dias no mês que vem na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, onde são produzidos os modelos Novo Virtus, Novo Polo, Nivus e a picape Saveiro.

Os operários dos dois turnos de produção entrarão em férias coletivas a partir de 10 de julho, como uma medida de adequação à demanda reduzida.

A Volkswagen ressalta que todas essas medidas foram previstas em acordo coletivo firmado com o sindicato e os trabalhadores, evidenciando a necessidade de adaptação diante do cenário atual do mercado automobilístico, onde o programa do governo não tem sido suficiente para aquecer as vendas.